terça-feira, 23 de agosto de 2016

Continues & Game Overs #34 | Pokémon Go - É Para Colecionar e Não para Treinar



Depois de uma longa espera, Pokémon Go chegou ao Brasil há algumas semanas. Não é preciso dizer que logo virou febre. Quem é fã está jogando e até quem não é e nem era, pessoas nas ruas e em conduções públicas estão se divertindo. Mas a questão aqui é que o jogo segue uma mecânica diferente daquela dos jogos clássicos e no fim das contas você acaba sendo um colecionador de Pokémons e não um Treinador. Vamos entender?


Quando você assume o controle daquele garoto (ou garota) nos jogos de Pokémon você deixa sua cidade natal para se tornar um mestre Pokémon. Você ganha seu pokémon inicial e segue em busca das insignias para poder competir na Liga Pokémon. O caminho é repleto de perigos, mas não vamos focar nisso e sim na questão de capturas. Quando encontra um pokémon você deve batalhar contra ele, para então enfraquece-lo e então jogar sua pokebola e torcer para que ele fique lá dentro. Com Pokémon Go é diferente, você encontra o monstrinho, joga sua pokebola e torce. Eu acredito que tira um pouco da graça da coisa, a gratificação de capturar, especialmente se você estava querendo muito aquele em questão. E é nesse ponto que já se puxo outo: pelo fato de não precisar batalhar, logo todo pokémon que você encontra pelo caminho você irá querer capturar, acumulando mais e mais, muitos até repetidos. Se você parar para pensar na prática "Temos que pagar todos" não é verídico. Se por um acaso você capturar os 150 pokémons iniciais, não sei, de Kanto, você realmente vai conseguir treinar e se dedicar a todos? Por isso digo que Pokémon Go é sobre colecionar pokémons e não sobre treina-los como os jogos e animes ensinaram todo esses anos. Se você tem 150 pokémons nenhum deles será realmente forte, não tão cedo, pelo menos e você não cria elos com eles e nem os entende melhor.

Se você encontra um Dragonite na rua, seria mais instigante se pudesse lutar contra ele, e mesmo que ganhasse ou perdesse sentiria mais vontade de jogar. Se fosse derrotado, o mais certo é que você percebesse que precisaria treinar mais seus pokémons, para quando encontrasse outro oponente desse nível pudesse finalmente captura-lo. E caso ganhasse teria um Dragonite, por seu esforço e veria o quanto treinou bem seus pokémons.

É claro que deve estar passando pela sua cabeça que se é perigoso andar com um celular na mão, imagina parar e batalhar com um pokémon e eu digo que bom senso é sempre bem vindo. Sabemos o país que vivemos e as pessoas devem ser responsáveis aonde vão e onde ficam de bobeira com seus celulares. E geralmente batalhas pokémons não são tão demoradas.

Por fim, não estou dizendo que Pokémon Go é um erro, muito pelo contrário. É uma revolução, algo novo, que ninguém nunca fez antes e já é uma febre, mas usa uma mecânica diferente e por isso não me agradou, poderia ser mais gratificante, poderia realmente me fazer sentir um treinador pokémon. Mas por enquanto não faz.

Enfim, bom jogo pra quem curtiu.






Nenhum comentário:

Postar um comentário